Os criptoativos num mundo em mudança

Os criptoativos num mundo em mudança

É do conhecimento geral que vivemos num mundo em mudança contínua. As mudanças ocorrem a uma velocidade nunca antes imaginada. Temos, até, dificuldade em acompanhá-las. O negócio dos criptoativos está perfeitamente integrado na filosofia de mudança que se está a verificar e na qual todos somos intervenientes.

Está a acontecer a tal revolução profetizada por Alvin Toffler, umas décadas atrás.

O movimento está em marcha

Dizem os especialistas que, em menos de duas décadas, ou seja, antes de 2040 (é já amanhã!), cerca de 70% a 80% das atuais profissões, irão desaparecer e serão substituídas por outras que, presentemente, não imaginamos quais sejam.

Por isso, o impacto irá ser tremendo em vários aspetos da vivência quotidiana do ser humano, tanto a nível social, profissional, financeiro e muitos outros.

Muitos de nós, ainda não se encontram minimamente sensibilizados para os efeitos desta mudança mas é imperioso que todos nós devemos começar a preparação para o grande temporal que se avizinha.

Preparação para o mundo em mudança

A mudança, de per si nada tem de mal, antes pelo contrário, pertence à natureza das coisas. Aliás, diz-se, e com razão, que a mudança é a única constante da vida.

O que está mal, é a não preparação para a mudança.

A revolução que estamos a falar, e a inerente mudança, é caraterística de um novo tempo, que confirma, categoricamente, o fim da Era Industrial e o início da Era da Informação.

Quer queiramos, quer não, este movimento não tem retorno e tem implicações nos negócios e nos empregos, como se disse anteriormente.

Não há dúvidas. Temos que sair da nossa zona de conforto e arranjar, depressa, métodos eficazes de nos protegermos.

Quando afirmo que as criptomoedas são o negócio do século XXI, estou, de modo consciente e claro, não apenas a sugerir, mas também a vivenciar esta realidade.

Em abono desta minha convicção, está, além de muitas outras, a postura do Deutch Bank, que é, além do maior banco da Alemanha, um dos maiores do mundo, e que publicou: As criptomoedas podem substituir o dinheiro físico até 2030.

Por isso minha cara amiga ou amigo que me estás a ler, olha para os sinais dos tempos como disse Paulo Coelho, e não faças como a avestruz, metendo a cabeça na areia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Releated

Se pensas em Lagaertixa nunca chegas a Jacaré

Se pensas em Lagartixa nunca chegas a Jacaré

Como sabem, aquilo que eu escrevo neste espaço, não tem por objetivo serem conteúdos de desenvolvimento pessoal, independentemente do critério de análise que os leitores têm sobre tais conteúdos. Aqui, pretendo, de modo geral, falar de criptomoedas e do que está a montante e a jusante. Mas, dando razão ao filósofo quando disse: Na variedade […]

Dinheiro para que te quero?

Dinheiro para que te quero?

Na sociedade atual, há mais pudor em falar de dinheiro, do que em falar de sexo. Assim, proponho-me refletir sobre a pergunta, dinheiro para que te quero? A causa deste sentimento em relação ao vil metal, tem a ver com tudo aquilo que temos ouvido, desde crianças, em termos de forte negatividade em relação ao […]

crises financeiras e moedas FIAT

Crises financeiras e moedas FIAT

O tema deste artigo, ou seja, a relação entre as crises financeiras e as moedas FIAT, tem a ver com algo que já foi abordado em escritos anteriores. Há algumas semanas, publiquei, neste espaço, um artigo denominado “As moedas FIAT e o sistema de reservas em ouro”, onde fazia uma análise sucinta e clara, julgo […]

%d bloggers like this: